• (9)
  • (21)
  • (11)
  • (9)
  • (7)
  • (4)
  • (10)
  • (7)
  • (50)
  • (18)
  • (85)
  • (5)
  • (8)
  • (3)
  • (5)
  • (6)
  • (5)
  • (1)
  • (7)
  • (20)

Anuncie também

Anuncie gratiutamente na mais completa seção de classificados off road da web brasileira

setembro 27, 2021

SPOA! Sem medo de altura

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em ter um jipão mais alto e imponente. Uma fórmula relativamente simples para conseguir isto é o chamado SPOA.

Para quem está perdido, vai aí a explicação. SPOA significa Spring Over Axle que traduzindo, seria algo como mola sobre o eixo. Na verdade, trocando em miúdos, fazer o SPOA seria inverter a posição do eixo e do feixe de molas. A maior parte dos 4×4 com eixo rígido possui a mola passando por baixo do eixo (nesse caso a sigla é SPUA – Spring Under Axle). Com a inversão, passando o eixo para baixo, o jipe ganha cerca de cinco polegadas na altura.

Samurai SPOA

É claro que a receita completa não fica só na mudança da posição dos eixos. Alguns itens precisam ser alterados. Mesmo assim, vale ressaltar que o custo envolvido no processo não fica muito além de outros métodos para modificar a suspensão. Apesar de variar entre os modelos de 4×4, basicamente a mudança deve envolver também a barra de direção, flexíveis de freio e cardã. O SPOA serve para ganhar altura, bem considerável por sinal, e possibilitar a colocação de pneus maiores. Ganha-se ângulos de entrada e saída, vão-livre e curso de suspensão. A altura do eixo em relação ao solo, a principio, não muda, mas com pneus maiores é mais um ponto melhorado.

“Spoar” o jipe é uma forma fácil de fazer um up-grade. É preciso desmistificar o fato de que SPOA é exclusivo para trilha pesada. Com um serviço bem feito, um “spoado” é bem mais estável que um jipe com molas super arqueadas e enormes jumelos.

Passo a passo

O ponto principal para uma modificação segura é fazer o serviço bem feito. São poucos itens a modificar, mas é preciso atenção em todos eles.
1. Nos eixos, é preciso fazer um novo berço para receber as molas por baixo. É preciso fabricar os quatro suportes e soldá-los ao eixo diretamente oposto aos originais.
2. Em alguns modelos é preciso fazer novos suportes de amortecedores. A troca deles inclusive é uma boa ideia para aproveitar o novo curso de suspensão.
3. Os flexíveis do freio precisam ser substituídos por outros mais longos.
4. A configuração original da barra de direção normalmente passa a esbarrar nas molas e precisa ser mudada.

SPOA

O que muda

Para Melhor
– Melhores ângulos de ataque e saída.
– Maior espaço para pneus maiores (e consequentemente, maior altura do chão ao diferencial).
– Aumento do vão-central.
– Aumento do curso de suspensão.

Para pior
– O centro de gravidade sobe e com isso perde-se estabilidade.
– A molas sofrem mais a força de torção o que pode causar o chamado Axle Wrap, quando a mola forma um “S” quando exigida pela tração.

Segunda opinião por Norberto Bambozzi

Quando fiz o SPOA no meu Samurai, ficava com medo de tombar nas inclinações laterais da trilha ou nas curvas on-road. Com o tempo fui me acostumando e percebendo que não altera tanto assim a ponto de deixar o jipe instável ou perigoso demais. A manutenção aumenta, pois os pneus forçam mais os freios e rolamentos e, no dia-a-dia, o carro fica mais desconfortável. Fora isso, só vejo vantagens no SPOA. Para mim, todo Suzuki Samurai feixe podia ter vindo SPOA de fábrica! Em trilha, melhora muito. Ganha até em conforto, pois a suspensão funciona melhor e não fica caindo no buraco e levantando a roda o tempo todo. Ainda pretendo fazer algumas melhorias como a troca dos feixes originais por outros de Toyota, troca do sistema de high-steer e a colocação de jumelos articulados que implicará na troca dos amortecedores.

Comentários