• (3)
  • (9)
  • (3)
  • (3)
  • (3)
  • (3)
  • (47)
  • (5)
  • (4)
  • (13)
  • (3)
  • (3)
  • (2)
  • (4)
  • (3)
  • (3)
  • (4)
  • (19)

Anuncie também

Anuncie gratiutamente na mais completa seção de classificados off road da web brasileira

JPX Montez
agosto 2, 2004

JPX Montez STD

O nosso convidado, Sérgio Ricardo, faz um avaliação apontando os benefícios e as desvantagens do JPX

O representante comercial Sérgio Ricardo adquiriu o jipe JPX Montez STD, 1997, no ano passado. Após fazer apenas pequenas correções no jipe – como a instalação de um botão para o acionamento da ventoinha e a troca da bomba de água por uma Bosh –, nosso convidado garante que as principais vantagens do veículo são a suspensão, a estabilidade e a relação custo x benefício para um carro diesel 4×4.

Sérgio, que tem 1,90 m de altura, cita o espaço interno como um diferencial do JPX, se comparado a outros jipes. O espaço, principalmente para o motorista, é grande e o proprietário ressalta: “Ainda há um bagageiro interno no qual dá para levar algumas malas”. Apesar do espaço interno, o veículo perde pontos no quesito comodidade: “Como qualquer 4×4, seu conforto não é dos melhores. O banco original não é muito cômodo”, explica Sérgio.

Nosso convidado garante que a manutenção é simples. O veículo aceita muitas adaptações e as peças não são difíceis de serem encontradas. Porém, Sérgio Ricardo aponta alguns problemas. Segundo ele, o motor Peugeot XUD, a caixa de marchas Peugeot – usada no JPX fabricado até 1996 – e o diferencial Carraro não são confiáveis. “Se o diferencial for utilizado com o motor original, é excelente, mas se for adaptado outro motor, ele já não agüenta”, pontua. Em contrapartida, “a caixa de transferência Auverland é muito boa e confiável”, assegura.

Para o uso urbano, na opinião do nosso convidado, há um equilíbrio, pois o fato do motor ser lento é compensado pelo conforto da direção hidráulica e pela economia. O consumo varia de acordo com a regulagem do turbo, mas a média é de, aproximadamente, 10 km/l de diesel. Segundo Sérgio, na estrada, apesar de o jipe ser muito estável em curvas, o que facilita sua dirigibilidade, o Montez não apresenta uma boa performance e, por isso, não é uma boa opção. “O motor XUD é muito lento e pouco confortável para viagens mais longas”, alerta Sérgio. O melhor desempenho do Montez pode ser conferido, mesmo, nas trilhas. Sérgio afirma que o jipe é robusto o suficiente para superar praticamente qualquer desafio: “Como tem a melhor suspensão dos 4×4, o JPX ultrapassa os obstáculos com muita facilidade”.

Comentários