• (8)
  • (21)
  • (11)
  • (8)
  • (6)
  • (4)
  • (10)
  • (7)
  • (50)
  • (17)
  • (83)
  • (5)
  • (8)
  • (3)
  • (4)
  • (6)
  • (4)
  • (1)
  • (7)
  • (20)

Anuncie também

Anuncie gratiutamente na mais completa seção de classificados off road da web brasileira

junho 16, 2021

Jipe Frank: a receita vencedora

A receita vencedora: eixos de Unimog, chassi tubular e suspensão 4-link

Não é sempre que temos a oportunidade de fazer uma matéria com um jipe que utiliza eixos de Unimog. Confesso que dá uma satisfação e tanto quando isso acontece. Assim, não medi esforços e fui para Botucatu, interior de São Paulo, atrás do “Frank”, o excelente jipe do preparador Anderson Darros.

Jipe Frank

Este é o segundo jipe com eixos portais de Unimog que trato em uma matéria. O primeiro foi o “Devasso”, do Ramiro Eli (saiu na edição n.15). As semelhanças entre os dois não são apenas os eixos e boa parte dos itens de construção são diferentes. Ambos mantiveram a carcaça e a ‘cara’ de Jeep e foram montados sob uma estrutura tubular, porém, motor, caixa, t-case e amortecedores são diferentes.

 

O protótipo que Anderson Darros construiu já vem mostrando, nas competições de off-road extremo, que a fórmula utilizada funciona. Pilotando o seu “Frank”, Anderson já conquistou alguns troféus este ano. Para montar esse jipe que beira a perfeição, Darros optou por construir um chassi tubular junto com toda a estrutura da gaiola. Este tipo de construção dá mais rigidez ao carro e deixa o trabalho de torção toda para a suspensão. Para isso funcionar bem, a suspensão tem que cumprir seu papel com maestria. E isso acontece no “Frank”. A suspensão 4-Link com amortecedores Fox 2.0 com 18 polegadas de curso trabalha livre, cruzando os eixos portais de Unimog. Assim, o jipe mantém-se alinhado e com os grandes pneus Super Swamper TSL Bogger 42,5 x 19,5R17 sempre em contato com o solo. Com o grande vão livre que os eixos portais proporcionam, eu te digo: é difícil parar o “Frank”.

Jipe Frank

 



 

O motor utilizado veio de uma Chevrolet S-10, um Vortec V6, 4.3 litros a gasolina, que recebeu turbo e injeção programável Pandoo. O câmbio automático, também, vem da linha S-10, porém a caixa de transferência é uma NP231 utilizada originalmente no Jeep Wrangler. Este conjunto garante não só força e desempenho, mas também a robustez necessária para a utilização do protótipo.

Logicamente, com esse powertrain empurrando, o jipe teve que receber alguns itens para ser mais, digamos, controlável. Nos eixos, foram adaptados freios a disco utilizando pinça de S-10 na traseira e de Toyota Hilux na dianteira. A direção utiliza sistema full-hydro, necessário para guiar o carro com os pneus de 42,5 polegadas.

Se mesmo com todo esse arsenal o jipe do Anderson Darros parar, ele ainda pode utilizar um dos dois guinchos Ekron 12.000 para tirá-lo do enrosco e seguir vencendo o obstáculo que encontrar pela frente.

Jipe Frank

Comentários